Endoscopia Digestiva Alta

A endoscopia (do latim = olhar para dentro) permite a visualização de partes do interior do corpo humano. Consiste de aparelho flexível, composto de fibras óticas que transmitem as imagens do interior dos órgãos para uma microcâmara e desta para um monitor, permitindo ao médico e sua equipe uma visualização adequada da região examinada. Usado em gastroenterologia, coloproctologia, cirurgia torácica, vascular e urologia.

A endoscopia digestiva alta é um exame bastante realizado atualmente e capaz de visualizar, diagnosticar e muitas vezes tratar de doenças da mucosa (camada interna) do esôfago, estômago e duodeno (parte inicial do intestino). É um procedimento seguro, realizado em jejum de 8 a 12 horas e com sedação. Não requer internação hospitalar, isto é, pode ser realizado em clínicas, laboratórios ou ambulatórios especializados, com o paciente voltando às suas atividades normais após um período curto de repouso.

Não é considerado exame de urgência médica exceto em caso de sangramento, quando a endoscopia pode localizar o local do sangramento e controlá-lo com sucesso, diminuindo a morbidade e mortalidade desses sangramentos.

A endoscopia digestiva alta pode ser complementada pela CPRE (colangiopancreatografia retrógrada endoscópica) ou Ecoendoscopia (associação de endoscopia e ultrassom) em casos de pedras ou tumores das vias biliares (canal da bile) e pâncreas.